"Escritura pública de doação como adiantamento de legítima no valor de 442;000,000, como adiantamento, digo, como adiante se declara:

Saibam quantos esta escritura pública de partilha em vida e doação virem que aos vinte e dois (22) dias do mês de janeiro de mil e novecentos e quarenta e dois (1942), nesta Fazenda "Guaritá", distrito da cidade de Muzambinho, Estado de Minas Gerais, em casa de residência do Senhor Cel. Ananias Bueno de Azeredo, onde eu, Benjamin Rondinelli, 2° Tabelião, vim a chamado, perante mim Tabelião, compareceram justos entre si, justos e contratados a saber: de um lado, como outorgantes doadores Cel. Ananias Bueno de Azeredo e sua mulher D. Ana Deolinda de Jesus, lavradores, brasileiros, residentes e domiciliados neste distrito da cidade de Muzambinho, Estado de Minas, e de outro lado, como outorgados donatários João Vieira da Fonseca e sua mulher D. Maria Rosa Vieira, José Ananias Bueno e sua mulher D. Sebastiana Vieira Bueno, Matias Bueno da Silva e sua mulher D. Gecelda Alvina Bueno, José Bueno de Araujo e sua mulher D. Jovina Bueno de Jesus, Francisco Olivio Bueno e sua mulher D. Benvinda Ferreira Bueno, Ananias Bueno Filho e sua mulher D. Mariana Vieira Bueno, lavradores, residentes neste distrito de Muzambinho, Minas, brasileiros, D. Josefina Bueno de Araújo, viúva, lavradora, brasileira, residente na cidade de Muzambinho, Minas, Isaac Bueno da Silva e sua mulher D. Maria Rita de Jesus, lavradores, brasileiros, residentes no distrito de Juruaia, Município de Muzambinho, Minas, Antônio Alves Moreira e sua mulher D. Gumercinda Cândida Bueno, Antônio Cândido Bueno e sua mulher Maria do Carmo Bueno, lavradores, brasileiros, residentes no Município de Monte Belo, Comarca de Muzambinho, Minas, todos maiores e capazes e reconhecidos de mim Tabelião e das testemunhas adiante nomeadas e assinadas...

(...)

Pelos outorgantes doadores me foi dito que existe na sede da Fazenda "Guaritá", uma machina de beneficiar café, um vapor e respectiva casa onde se acham instalados, declarando expressamente, para evitar quaisquer dúvidas futuras que a citada machina, vapor e casa, pertencem aos seus filhos José Ananias Bueno, Francisco Olívio Bueno, Ananias Bueno Filho, Antônio Cândido Bueno e a seus genros João Vieira da Fonseca e Antônio Alves Moreira, razão pela qual não foram computados na presente doação. Disseram mais os outorgantes doadores que de livre e espontanea vontade, sem coação alguma, partilham e doam a seus filhos e genros os outorgados donatários e da forma pela qual constam os pagamentos acima enunciados, todos os bens constantes dos mesmos pagamentos, transmitindo, desde já, nas pessoas dos outorgados donatários, toda a posse, domínio, direito..."

Cópia da escritura pública de doação...

Cartório do 2° Ofício